quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Dez lava jatos são fechados em operação:

Lavadores de carro do bairro do Marco fecharam a João Paulo II ontem de manhã. Eles protestaram contra a ação da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) de combate ao desperdício e ao uso irregular de água. A ação é uma parceria entre a Cosanpa e a Secretaria de Urbanismo (Seurb), com o apoio do Ministério Público e das Polícias Militar e Civil, com o objetivo de cumprir a Lei Estadual nº 6929, de 12 de dezembro de 2006, que obriga postos de combustíveis e empresas de lavagem de carros a usarem água de poços artesianos. Estima-se que mais de 50 lavadores trabalhavam nas travessas Barão do Triunfo e Timbó, locais onde ocorreu a ação, e que os dois pontos movimentavam quase R$ 40 mil por semana.

A operação começou às 9h30 na Barão do Triunfo de maneira tranquila até as 11 horas, quando os lavadores de carro fecharam a João Paulo II. Com pedaços de pau, lixo e pneus queimados eles reivindicavam a permanência dos lava-jato. O protesto teve uma pausa com a chegada da Polícia Militar, mas continuou quando a Cosanpa iniciou a operação na Timbó. Os manifestantes tentaram fechar novamente a avenida, mas foram impedidos pelos policiais. Após uma conversa com o major Nil, os lavadores de carro seguiram a pé pela avenida Almirante Barroso até a Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan). Na secretaria, dois deles conversaram com a secretária Pilar Nogueira e foram orientados a procurar a Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), a Secretaria Municipal de Economia (Secon) ou a própria Cosanpa.

O diretor comercial da Cosanpa, Gilberto Drago, disse que os lavadores foram previamente notificados sobre a operação. 'Só os quatro pontos encontrados na Barão do Triunfo já são suficientes para abastecer cerca de 50 casas', disse. A gestora da Uni Norte, que administra os bairros do Marco, Pedreira, Sacramenta, parte do Telégrafo e CDP, Cleide Ferreira, esclarece que a Cosanpa não fornece água para nenhum dos estabelecimentos e que a água utilizada pelos lava-jato era obtida de forma ilegal. Cleide afirma que a comunidade pode ajudar na diminuição do gasto de água denunciando irregularidades através de ligações ao serviço de 0800 da Cosanpa. O número da Central de Atendimento da Companhia é 0800 70 71 195 e pode ser encontrado na própria conta de água.

Nenhum comentário: